segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Os Rádios G. Rossi

Com quase 25 anos mexendo com rádios antigos, conclui que quase todas as cidades, incluindo as Grandes cidades, nos anos 40 e 50 tinham algum técnico que montava rádios a partir de Kit´s de fábricas como a Douglas(que surgiu na Europa e veio, no inicio dos anos 30 para a Argentina e depois Brasil), Bobinas Lumor, Solhar, e, a partir dos anos 50 as fábricas de Bobinas: Nautilus, Comar, Geloso(Italiana), e, de Campinas, a maravilhosa Unda, com seus contatos de prata pura na chave de ondas.....

Como mencionei no inicio do texto, esse grande impulso do Rádio se deu nos anos 40 e 50 da Passada Centuria que ficou mundialmente conhecida como "O Século das Luzes" e que viveu, nos seus anos 30 e 40, os anos Dourados do Rádio.

Pois bem, na década dos 30 do mesmo século(XX), quem tinha conhecimento sobre eletrônica no Brasil, poderia ser conhecido como Engenheiro...viviamos um atraso fenomenal em comparação à Argentina, que já vivia as experiências com imagens em 1935, transmitindo imagem através de Ondas Curtas....
Por aqui, meia duzia de mal montadas emissoras de Rádio que fechavam na Hora do Almoço e ficavam, no máximo, um período entre 8 a 10 horas no Ar...

Muita musica clássica, cotação de açucar, café, algodão e demais cotações e os discos, emprestados de ouvintes.... como consequencia BOA disso tudo, uma emissora de rádio em São Paulo(Capital), com apenas 250Watts era ouvida quase que em todo Brasil....Hoje, tomando um exemplo, a Rádio Capital em 1040 Kilohertz, com 500.000Watts(se é que ainda transmite com tudo isso), mal chega a noite por aqui...e estou a apenas 235Km da Capital, reflexos de muitas interferências, excessos de transmissões e poluições e mais alguns "felomenos" naturais pois, caso não saibam meus queridos amigos, até as tempestades solares interferem nos nossos amados Radinhos......SNIF!

Pois bem, divagando menos e voltando ao cerne do assunto, por aqui, nos fins dos anos 20, um jovem chamado Gisto Rossi fez um curso por correspondência vindo esse curso, obviamente da Argentina, pois já disse que em termos de Rádios estávamos de tacape nas mãos.....

Esse curso, muito completo e complexo, era um dos mais completos que já vi... e o jovem Gisto Rossi, morando por aqui, uma cidade que parecia cidade de Faroeste com meia duzia de casas de cada lado, teve o sonho, idealizou e montou a primeira fábrica de rádios do interior de SP.... Caso os amigos tenham informação sobre outra, me avisem....

São Carlos teve muito disso, de ser pioneira em alguma coisa...foi a primeira cidade da américa Latina a ser iluminada por lâmpada elétrica....num processo chamado de Arco-Voltaíco....coisa no tempo de onça de paletó....

Nos anos 50, muitos estudos do nosso Campus da USP foram levados para o exterior, para servirem os países "evoluídos" em se apoderar de coisas alheias a terem suas glórias posteriores.....

Lembro-me de ter visto o diploma de Gisto Rossi como Contador, formado em 1930 pela escola de Comércio que não existe mais....

Bem, vamos ao primeiro documento foto-histórico....eu não tenho nenhuma informação sobre a criação da fábrica de rádios, mas acredito que tenha sidos depois de 1932... em 32, Gisto Rossi foi convocado para lutar pelos Paulistas na Revolução Constitucionalista de 1932...veja a foto... Gisto Rossi é o segundo da esquerda para a direita....

O Jovem Gisto Rossi, após terminada a Revolução Constitucionalista, anunciou num Jornal local sua loja e Oficina de Rádios...ainda não fabricava....(1934)

 Como ele mesmo me contou em 1991, no começo era Ele e a Esposa, Sra. Sylvia Yvonne, que mais tarde, se tornou uma das maiores escritoras de Rádio-Novelas do Brasil.... Para provar, aí está uma foto...Gisto Rossi ao fundo e Sylvia Yvonne(professora formada), fazendo os transformadores à frente....
 Os anos foram passando e surge a fábrica de Rádios G. Rossi, instalada à Rua Nove de Julho, ao lado do colégio São Carlos.... na foto abaixo, já com empregados....Gisto Rossi, no plano principal, está calibrando um receptor Edisone(em homenagem ao do filho que faleceu muito jovem Edson Edsel Rossi).

 A fábrica funcionaou, pelo que eu soube, e identifiquei alguns modelos de Bobinas, de principios de 1933/1934 ao principio dos anos 40... Aqui Gisto Rossi em mais uma foto de época.
 Aqui, uma foto do plano externo do mesmo prédio. Notem o telefone com 3 digitos apenas...
 Um dos primeiros modelos de rádio G. Rossi
 Um dos modelos de fins dos anos 30. Aqui, em sua fábrica, eram feitos os Chassis, os Transformadores, as pontes de terminais de ligação e a montagem dos aparelhos. As caixas, acredito eu, vinham nos Kits Argentinos da Douglas, junto com as bobinas, dial e molduras......
 Com algumas tentativas de implantar uma Emissora de Rádio em São Carlos, sendo algumas combalidas fielmente pelo regime de Vargas, em 1939, após ter sido preso e repreendido algumas vezes com suas "experiências de transmissão", Gisto Rossi conseguiu, com muita luta, formar a Rádio São Carlos S/A. Quase todos os equipamentos da Emissora foram feitos por ele....abaixo uma caixa de som do auditório....
 A Rádio São Carlos, nos anos seguintes, tornou-se um portento para a cidade de São Carlos. Em 1940 foi inaugurada com Show do cantor Carlos Galhardo(o cantor preferido de Dona Sylvia Yvonne), mas pelo auditório da Rádio São Carlos passaram muitos nomes importantes na época como Aracy de Almeida, Hebe Camargo, Agnaldo Rayol, Ângela Maria e, desse mesmo auditório para o Brasil, apareceu, vindo de um bairro modesto da cidade, o jovem Jair Rodrigues.

Com 250 Watts de potencia, a Rádio São Carlos era ouvida em São Paulo(capital). Suas Rádio-Novelas(escritas pela professora Sylvia Yvonne, esposa de Gisto Rossi), ganharam todo o Brasil, pois eram distribuídas pelos estúdios Gravo-Arte, de propriedade de Gisto Rossi(um verdadeiro empreendedor), com sede na Avenida Angélica, em SP. Nos fins dos anos 50, pelo que sei, a Professora Sylvia Yvonne foi residir em SP, para escrever novelas para a Rede Tupy de Rádio e, poucos anos depois, para a TV Tupi.

Em 1962 a Rádio São Carlos possuia uma frequencia modulada(FM) o que, alguns meses depois, Gisto Rossi não se importou em perder, pois não havia receptores de FM na cidade...mas lutou e conseguiu uma frequencia em Onda Tropical a qual, até o inicio dos anos 90, transmitia em 2420 Kilohertz tendo, a emissora, recebido diversas correspondencias de ouvintes espalhados pelo mundo....os famosos DXistas....

Abaixo, uma foto do auditório da Rádio São Carlos que foi um dos maiores do Brasil....


Gisto Rossi, nasceu em 11 de Abril de 1910 e faleceu no dia 25 de Julho de 1991, aos 81 anos de idade.

A cidade de São Carlos, que sempre se esquece de seus filhos e talvez seja uma das maiores cidades com complexo de vira-latas do mundo, corrigiu este ano o fato de nunca ter homenageado "direito" um de seus filhos mais importantes, criando, no centro da cidade, um centro municipal de audio-visual com o nome de Gisto Rossi porém, como tudo na vida há um porém, até hoje o municipio não colocou uma placa com o nome ou contratou um "letrista" para escrever, mas no papel, graças ao ex-vereador e meu amigo particular Rubens Maciel, já existe.... já é alguma coisa....

Sobre a Rádio São Carlos, hoje em dia é administrada pela Advogada e Jornalista Lilian Marilena Keppe Rossi, a única filha de Gisto Rossi que manteve interesse pelo império criado pelo pai. A Rádio São Carlos ainda não tem transmissão via internet(que eu saiba), somente em 1450 Kilohertz com 1000 Watts de potencia.
Detalhe:
Com apenas 12 ou 13 anos de idade, eu ia até a Rádio São Carlos onde conheci o bom e saudoso amigo Gisto Rossi que sempre e invariavelmente, deixava seus afazeres administrativos para me dar atenção e lições de rádio..... Ao estimado e querido amigo, minha singela homenagem neste modesto blog....

Officina do Rádio Antigo. (16)3412-6692 Rua Dona Alexandrina, No. 398 - Centro São Carlos - SP CEP 13560-290 officinadoradio@gmail.com

7 comentários:

Marcelo Freitas. disse...

Boa noite, senhor Inaldécio. Justíssima homenagem. A história mostra que o senhor Gisto Rossi deixou seu legado até os dais de hoje, que serão perpetuados por cada um que possa passá-la adiante. É de pessoas como esta é que nosso país precisa. Pena que os bons vão primeiro, infelizmente. Enfim, feliz e privilegiado é o senhor que pode partilhar da companhia do senhor Rossi, bem como do seu conhecimento. Parabéns por prestar esta justa homenagem a um visionário empreendedor e agradeço por compartilhar esta história com todos nós, amantes do rádio.
Muito grato!
Atenciosamente,
Marcelo Freitas (Belo Horizonte).

Rodrigo disse...

É, infelizmente é assim mesmo. Nosso povo simplesmente não dá valor à História. Por isso, muitas vezes continuamos a fazer as escolhas erradas, ainda hoje em dia. Imagino se, num país da Europa, ou mesmo nos Estados Unidos, o Sr. Gisto teria esse tratamento (na verdade, esse esquecimento).

Anônimo disse...

Maravilha de reportagem ,é uma pena de tão ilustre pessoa fique assim esquecida neste país . Mas acredito Eu que um dia será lembrado . São Carlos não pode esquecer assim de uma pessoa que foi importantísima para a cidade e para o mundo.
Joao Carlos
B.Limão SP Capital

Carlos disse...

Bom dia, amigo!
Antes de mais nada, parabéns pelo blog e pelo belíssimo trabalho de restauração que leva a cabo em sua oficina!

Chamo-me Carlos, sou de Campinas, e por estes dias encontrei jogado, literalmente, um rádio a válvulas da marca Unda. O rádio encontra-se num estado lastimável, pois foi guardado sem a caixa (que deve ter apodrecido) e acumulava poeira de vários anos. O vidro frontal, onde ficam as marcações de frequência, é muito interessante pois constam cidades da região, como Campinas mesmo. São 6 faixas (médias, tropical e 4 faixas de curtas). Algumas das válvulas eu pude identificar, mas outras estão com a identificação quase apagada.

Como o rádio foi encontrado sem a caixa, não sei se é possível uma restauração, ou se é preferível retirar algumas peças para reaproveitamento. Gostaria de ouvir sua opinião, vou escrever-lhe em seu e-mail se não se importar.
Grato

PY2255 SWL disse...

Nossa !!! Viajei no tempo,que coisa legal não sabia de tantas particularidades de São Carlos e principalmente da Radio São Carlos . Muito bom mesmo parece que voltei 50 anos atrás. Parabens tudo isto faz bem para nosso ego parabens continue assim por milhares de anos.
J.Carlos
http://qsldobrasil.blogspot.com/

Anônimo disse...

A fabricação do rádio era quase artesanal, uma obra de arte!
O rádio hoje em dia ficou muito complexo, pena que estes aparelhos e outro que foram fabricados depois na era do transistor vão ficar sendo apenas recordações em algum museu.
É realmente uma super viajem no tempo, muitas emoções!

Rickert Senhorini disse...

Bela historia , adoro fotos antigas assim, valeu..